Estado da Paraíba bate recorde em consumo de gasolina

A Paraíba bateu o recorde de revenda de gasolina, totalizando 55,084 milhões de litros consumidos, 25,33% a mais do que no ano passado (43,984 milhões) e 13,7% sobre o volume vendido. De janeiro a outubro deste ano, a revenda cresceu 16,14%, saindo de 415,889 milhões de litros, em 2011, para os atuais 483,036 milhões.

O alto consumo de gasolina na Paraíba no mês de outubro, constatado pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), vem despertando a preocupação para uma possível falta do combustível no Estado neste final de ano. A forte dependência da economia brasileira na importação da gasolina tem tornado o país frágil no setor e os efeitos já podem ser sentidos em alguns postos revendedores paraibanos.

No País, o consumo de gasolina também bateu recordes de vendas este ano. Segundo dados da ANP, de janeiro a outubro, a venda do combustível cresceu em torno de 12,9% no país, saindo de 28,868 bilhões e chegando a 32,593 bilhões em 2012, fator provocado pelo forte crescimento da frota de veículos e pelo preço pouco vantajoso do etanol. No mês de outubro, o incremento foi de 18,1% (3,009 bilhões em 2011 e 3,556 bilhões em 2012).

DÉFICIT NOS POSTOS – Segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo da Paraíba (Sindipetro-PB), Omar Hamad Filho, muitos postos já estão apresentando déficit do combustível. A chegada do mês de dezembro, mês caracterizado pela alta no consumo de gasolina, pode agravar mais ainda a situação em todo o Brasil.

“É tudo um problema de infraestrutura. A demanda pelo combustível está crescendo de forma exponencial e a capacidade de armazenamento e o refinamento, entre outras questões de logística, não estão acompanhando esse aquecimento”, explicou.

Sobre as soluções para o problema, Omar afirma que, infelizmente, não há nada a ser feito a curto prazo.

“É preciso terminar as três refinarias que estão com as obras atrasadas nos estados de Pernambuco, Ceará e Maranhão, além de pelo menos dobrar a plantação e a produção de etanol”, disse.

Sobre a possibilidade da produção nacional de gasolina não suprir a forte demanda comum no mês de dezembro, a ANP garante que o fornecimento do combustível no país segue normalizado.

“A ANP monitora o abastecimento de combustíveis e mantém contato permanente com órgãos do governo e agentes econômicos do setor a fim de garantir o suprimento de combustíveis no país. O abastecimento está ocorrendo de forma regular e se houver casos pontuais de desabastecimento a ANP tomará as medidas necessárias para saná-los”, afirmou a assessoria de imprensa da agência, em nota.

Jornal da Paraíba