Obama iguala Brasil a Chima e India

A exploração de petróleo no pré-sal ainda nem começou, mas o presidente Barack Obama deixou claro ontem que os EUA querem ser um dos “melhores fregueses” do Brasil. O interesse americano não está restrito à compra de petróleo. Segundo Obama, as empresas americanas podem “ajudar” no desenvolvimento da exploração dos novos campos. “Queremos trabalhar com vocês, queremos ajudar. Quando vocês estiverem prontos para vender, queremos ser um de seus melhores fregueses”, disse, durante discurso num fórum de empresários.

Diante da plateia, Obama disse que o País tem uma economia globalmente importante e que deve ser tratado como são tratadas a China e a Índia. “É hora de tratar o diálogo econômico com o Brasil tão seriamente quanto tratamos com a China e a Índia.”

O presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, explicou que os Estados Unidos são hoje, na prática, um dos principais compradores de petróleo brasileiro. “Do ponto de vista comercial não é uma grande novidade. O que pode ser uma novidade é o governo americano começar a considerar o valor estratégico dessa relação”, afirmou.

Obama tentou mostrar aos empresários brasileiros que o fortalecimento das relações entre os dois países será vantajoso para as empresas dos dois lados e defendeu, além do setor de energia, esforços nas áreas de comércio, educação e infraestrutura.

Para o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, as palavras de Obama fortalecem a expectativa de um aumento no comércio entre os dois países. “A presença de Obama num encontro empresarial dá uma sinalização firme e clara de que os Estados Unidos veem hoje o Brasil como um importante aliado no mundo”, disse.

 

Renato Andrade e Edna Simão, Estado de São Paulo